A metodologia OKR – Objective and Key Results – ou, mais simplesmente, Objetivos e Resultados Chave, é uma metodologia muito famosa entre as grandes empresas e podemos dizer que representa, hoje, o estado da arte, em termos de gestão.

A grande sacada não é o fato que praticamente vira um BBB diário onde todos sabem tudo de todos (isso pode até ser assustador), mas que tem um 40% de direcionamento vindo do alto e um 60% de empoderamento das equipes.

Nesta segunda parte do artigo sobre OKR (caso não tenha lido a primeira, aqui o link: ===) quero abordar como a metodologia funciona e linkar alguns outros recursos para que você possa colocar em prática já amanhã… ou próxima semana, logo que terminar de examinar as coisas.

Leia até o final e siga as referências publicadas caso você também queira obter a certificação internacional OKRCP. Quanta mais informações conseguir, melhor vai ser o entendimento e, consequentemente, a aplicação na sua empresa.

OKR e seu funcionamento

O funcionamento é resumido nesta imagem.

O CEO define os Objetivos estratégicos anuais e, junto com eles, alguns resultados chave (números atrelados a métricas) para validar aqueles objetivos. Ele não somente elabora um ou mais objetivos (aconselhado até 4), mas também os prioriza para saber no que focar em cada trimestre. Em um documento, comunica à empresa os novos objetivos.

Sucessivamente os gerentes de cada área se reúnem com ele e definem os objetivos táticos para o trimestre e os resultados chave. Pelo visto são feitas duas reuniões: a primeira para definir os objetivos e a segunda para os resultados chave. Os gerentes validam com o CEO os OKR do trimestre.

Até aqui estamos em um processo de Top Down: o CEO comunica aos gerentes os OKR priorizados e os gerentes elaboram os OKR de período ou trimestre.

Daqui em diante começa o processo Bottom Up. Os gerentes vão para as próprias equipes e apresentam os OKR, o desafio para aquele trimestre. As equipes começam elaborando iniciativas para alcançar aqueles objetivos. Pode ser qualquer coisa, com um mínimo de sentido e – principalmente – mensurável.

Os gerentes validam e aprovam algumas das ideias juntos com as equipes que começam já a desdobrar todas as ações necessárias, organizar os SPRINT semanais, monitorar de forma ágil através do SCRUM e por aí vai. A cada semana é revisado o que cada equipe está fazendo, a cada mês dá para entender se o objetivo será alcançado ou não, rapidamente dá para tomar medidas de correção e no final do trimestre são apresentados os resultados.

Em comparação ao planejamento anual, a metodologia OKR é muito mais rápida. Através da gestão de tarefas via Kanban e o alinhamento contínuo através micro reuniões o sentimento é de trabalhar todos juntos e alinhados (ou de estar em um BBB para a felicidade de quem gosta de “esconder” o próprio trabalho).

Em seguida uma imagem para descrever a cadência.

Todo esse ciclo se repete a cada três meses. O CEO reavalia os objetivos estratégicos, os gerentes encerram o trimestre e já elaboram os OKR para o próximo e as equipes continuam elaborando iniciativas para atingir os objetivos.

E se algum objetivo não for atingido?

Aqui está uma coisa boa. Se um objetivo não for atingido, nos OKR, a dica é focar no que aconteceu para entender como melhorar. Aceitar o “erro” e transformar ele em aprendizado.

A metodologia em si, não indica usar os OKR como única ferramenta de avaliação do desempenho, assim que as equipes e gerentes podem colocar metas mais desafiadoras e empurrar pra frente toda a empresa.

Conclusões e referências

Bem, como dito na parte 1 deste artigo, espero ter despertado sua curiosidade para saber mais. Prepare-se para mergulhar de cabeça no assunto caso você queira de fato implantar esta metodologia na sua empresa. Se não, nem perca tempo.

Em seguida vou deixar algumas referências para você seguir e começar já a aplicar. Elas me ajudaram muito na minha caminhada até a certificação:

  • Curso Udemy – OKR: Metodologia e Aplicação (COMPLETO)
    • Comprei este curso e gostei muito da explicação do professor. Clara, objetiva e completa. Alguns pontos são tão densos que é melhor assistir e re assistir como se não houvesse amanhã;
  • CertiProf OKRCP: página sobre a certificação para saber mais e se inscrever à prova
  • Site com exemplos de OKR que podem ser usados na empresa

 

About the Author: Mirko Lamberti

Mirko Lamberti
Fundador e CEO da Kestratégia, empresa que entrega inteligência de marketing e comunicação para pequenas e médias empresas. A carreira de Mirko Lamberti começa como programador e analista de banco de dados profissional, para chegar ao ensino como professor de informática a processos operacionais e também consultor de marketing por mais de 15 anos. Hoje, graças à experiêcia técnica e à didatica adquirida ao longo dos anos consegue elaborar uma estratégia e acompanhar as empresas para conseguir os próprios objetivos de marketing.
Published On: fevereiro 8th, 2021 / Categorias: Marketing Strategy /

Vamos bater um papo

Entenda os pontos cegos do seu marketing e como alavancar seu faturamento.

Agendar agora